Sabes o que é: shoppable content?

Sabes o que é: shoppable content?

 

Vivemos numa era digital em que o conteúdo (artigos, vídeos, infografias, imagens) é cada vez mais visto como um fator decisivo no processo de compra no e-comércio. Seth Godin, autor de livros sobre negócios e orador estadunidense, tem uma explicação para este fenómeno: as pessoas não querem comprar bens e serviços, mas sim relações, histórias e magia. E os marketers do nosso século estão a plantar magia no conteúdo que produzem e a cultivá-la estrategicamente de forma a obterem uma nova colheita de clientes.

Cada vez mais empresas estão a apostar fortemente em conteúdo que liga o consumidor a uma experiência direta de compra, apelando e transformando os hábitos de consumo de conteúdo online e o desejo de compra imediata que invade os consumidores. Constroem-se assim zonas de envolvimento, onde os clientes se podem relacionar com a marca, aproximando os brand moments dos purchase moments.

Lembras-te quando estavas a folhear uma revista, viste algo que te agradou (roupa, gadgets, etc) e cresceu em ti um desejo de o ter? Pois bem, nesse momento estiveste perante shoppable content.

Hoje em dia temos acesso a um processo de compra facilitado e que nos permite obter o que quer que seja quase instantaneamente (online, por exemplo). São dezenas, ou até mesmo centenas, os produtos que nos passam à frente dos nossos olhos em cada instante, em forma de conteúdo estrategicamente colocado para captar a nossa atenção e motivar a compra.

Mas o shoppable content vai além disso. O marketing de conteúdo já não se trata apenas de conteúdo como antigamente Como humanos, queremos tirar proveito do  que nos é apresentado no nosso quotidiano (obter educação, entretenimento, emoção, etc) antes de perpetuarmos um compromisso de compra. De acordo com um estudo feito pela DemandGen, 91% dos compradores preferem conteúdo dinâmico, interativo e visual .

Um grande exemplo deste conceito é o Instagram e as suas recentes potencialidades de venda dentro da aplicação que nos permitem, através do tagging de produtos em conteúdos, como as Instagram stories ou mesmo os tradicionais posts, ser redirecionados para uma página de compra. Em suma, o shoppable content está a transformar o panorama de e-comércio, permitindo às marcas estar onde os seus clientes estão. E a verdade é que estes clientes têm desejos, exigências e expectativas vincados de como os produtos devem ser apresentados e o quão rápido devem ser acedidos. Cabe às marcas superar estas expectativas.

Artigo anterior Cidadania na empresa não pode ser exceção
Próximo artigo O secundário é passado, e agora, o que será o futuro?

Deixe o seu comentário

* Campos obrigatórios