Acabaram as férias? Começa já a preparar as próximas!

Acabaram as férias? Começa já a preparar as próximas!

Hotel, hostel, alojamento local ou airbnb? Tudo incluído, meia pensão ou só alojamento? Turismo de lazer, rural, cultural ou de ar livre? Ou turismo militar, já conhecias este? E ecoturismo e enoturismo? E eis o último grito: VOLUNTURISMO!!!

 

Sei que a época de férias já terminou, mas porque não começar já a preparar as próximas?

Já pensaste que podes ser um turista e ao mesmo tempo um voluntário?

 

O volunturismo é uma forma “social” alternativa de “estar nas férias” que, como extra, acaba por oferecer uma profunda experiência de cariz cultural que o turismo convencional não proporciona.

Independentemente do alojamento que escolhes, do tipo de serviço que preferes ou se o que gostas mesmo é de te esticares ao sol ou caminhar quilómetros, garanto-te que é sempre possível dedicares nem que seja 1 hora para fazeres voluntariado.

 

Deves é estar a perguntar-te porque haverás tu de fazer voluntariado quando estás de férias…

Uma situação hipotética: se todos os voluntários fossem de férias ao mesmo tempo, não haveriam voluntários e, tendo em conta o enorme impacto e importância que o voluntariado tem nalguns serviços, seria o caos. Por isso, faz voluntariado enquanto gozas umas merecidas férias.

Uma situação não hipotética: arriscares num trabalho voluntário num local novo será certamente vantajoso para o teu desenvolvimento e ainda uma boa forma de agradecimento à comunidade que te acolhe. Por isso, faz voluntariado enquanto gozas umas merecidas férias.

E eis que chega a minha vez de perguntar. Porque não?”

 

O voluntariado de longa duração noutro continente faz parte das “bucket lists” de muita gente e está guardado na gaveta “one day” de outra tanta, mas não é disso que falo… Falo daquela semana de férias no Algarve, em Itália, no Brasil, na aldeia dos avós ou na tua praia de sempre.

O volunturismo tem arrecadado cada vez mais adeptos e pode definir-se como um tipo de turismo que interage com o destino através de ações voluntárias com o objetivo de impactar positivamente a comunidade local. E podes ter a certeza que TODOS os lugares têm pelo menos uma situação carente na qual podes ajudar!

Também podes fechar os olhos a esse facto e seres apenas mais um turista à procura da fotografia mais “instagramável”, claro! Mas o retorno do voluntariado será muito maior do que a quantidade de “likes” que angariarás e não faltam motivos para repensares a tua forma de viajar.

 

O volunturista (sim, é este o nome giro que se dá a quem se aventura no volunturismo) é um turista consciente da fragilidade de cada lugar e que procura de alguma forma acrescentar algo ao seu destino, ciente da responsabilidade que assume e de que a sua participação terá de ser ativa, sem que haja uma recompensa prevista.

Contudo, se já fizeste voluntariado sabes que por muito que tu te entregues todo e que entregues tudo o que tu tens, recebes sempre mais ainda! Emotivamente.

Neste caso, para alguém desse “ganho”, o teu turismo sairá vantajoso pela troca cultural que inevitavelmente acontecerá – por não existir melhor forma de conhecer uma região do que através dos seus habitantes, por só desta forma conheceres na totalidade a realidade do local, as suas histórias, os seus lugares secretos e porque te desafiaste a sair da tua zona de conforto!

 

Um aspeto muito importante na hora de planeares as tuas próximas férias de volunturista é a escolha da região e do tipo de trabalho a que te propões, pois deves identificar-te com ambos e estares preparado para o confronto com a realidade.

Aqui no nosso Portugal, por exemplo, há testemunhos de volunturistas que numa passagem por Lisboa colaboraram com a Re-food, numa passagem pelo Porto visitaram um lar diariamente ou que numa passagem por Castelo Branco ajudaram na construção da comunidade sustentável. Pesquisares algumas instituições que vão de encontro com as tuas ideias e contactá-las de modo a perceber se estão dispostas a te receberem, é outro ponto que deves ter em conta no momento do planeamento.

Não te esqueças é da curiosidade! Antes de ir, procura informação sobre a instituição, a sua história e as suas dinâmicas, pois há um trabalho que já decorre antes de ti e ao qual tu vais somar. Quando já lá estiveres, absorve tudo o que as pessoas queiram partilhar e não te inibas de perguntar, existem histórias que só os locais sabem contar!

 

E afinal de contas, o que é preciso para fazer volunturismo? Vontade, generosidade, responsabilidade, tempo, dinheiro (para te sustentares) e… Vontade!

Esta modalidade de turismo vai de encontro ao conceito de “cidadão”, a alguém que não se fecha em si mesmo e que procura a interação e o conhecimento do outro, a alguém que coloca o seu bem-estar dependente do bem-estar do outro e que para isso coloca o seu tempo e talento à disposição.

Ser volunturista é compreender e assumir que podemos todos fazer mais pelas comunidades que vivem nos lugares que visitamos e assim tornar o turismo mais humano, fazendo prevalecer o bem comum às mordomias individuais.

Think social, change the rules!

Rafaela de Melo

Fontes: Raízes do Mundo

Sobre Mim

Olá! Chamo-me Rafaela, tenho 21 anos, sou licenciada em Serviço Social e em breve iniciarei o mestrado em Economia Social.

O que mais gosto é de comunicar e aprender, o que me leva a envolver-me em projetos das mais diversas áreas: por isso estou na Forall Phones!

Sou embaixadora desde maio de 2018 e em junho integrei a Equipa do Blog, ficando responsável pela temática Forall Social.

Let’s Get Connected: Linkedin Facebook | Instagram 

 

Artigo anterior A minha experiência como embaixadora e como tudo começou
Próximo artigo O forallgreen.com está no ar!

Deixe o seu comentário

* Campos obrigatórios